Publicado em

Autarquias “Verdes” poupam na factura da luz com iluminação LED

Em tempo de dificuldades económicas e necessidade absoluta de contenção de custos, são já várias as autarquias que optam por investir em iluminação económica para reduzir a despesa pública. Deixamos abaixo o exemplo de Arraiolos.

Arraiolos poupa luz com mais candeeiros

A autarquia apostou no sistema LED para iluminação das ruas , que lhe permite pagar menos na factura sem recorrer a um apagão. Pelo contrário, a vila está até mais iluminada

arraiolos-led

Para poupar na conta da electricidade, a vila alentejana de Arraiolos apostou no sistema de iluminação LED e, em resultado, conseguiu ruas mais iluminadas e garante que vai reduzir para metade a factura da luz sem ter que recorrer a um apagão como ponderam muitas autarquias.

O sistema LED permite uma gestação da densidade da iluminação pública, com candeeiros a 100 por cento e outros apenas a 50, por exemplo.

E não é só na factura que o LED traz benefícios. Este novo sistema trouxe mais claridade às ruas da vila e até há quem borde os famosos tapetes à soleira da porta nas noites quentes.

in tvi24

Publicado em

Lâmpadas LED – Poupar energia para um futuro mais verde

Apesar de toda a informação que tem vindo a propagar-se online sobre as vantagens económicas e ambientais em trocar as lâmpadas convencionais para soluções LED mais modernas e de baixo consumo, persistem ainda algumas dúvidas quanto à eficácia destes sistemas.

Com vista a esclarecer algumas delas, divulgamos abaixo algumas vantagens-chave que o poderão convencer a pôr de parte definitivamente as suas velhas lâmpadas de filamento, seja em casa ou no escritório.

Eficiência Energética:

A tecnologia LED permite poupar até 90% na sua factura de electricidade, sendo os LEDs muito mais eficientes que qualquer outro tipo de iluminação eléctrica. Esta relação de eficiência é medida em lúmens por Watt (lm/W); no caso dos LEDs variam entre 60 a 130 lm/W, enquanto que uma lâmpada incandescente tem uma eficácia de apenas 15 lm/W, e uma lâmpada de halogéneo 19 lm/W.

Luminosidade Constante:

Também há que ter em conta que as características de eficácia luminosa das lâmpadas incandescentes, de halogéneo e de baixo consumo são válidas quando as lâmpadas são novas, no entanto a sua luminosidade diminui ao longo da sua vida útil, de 30% a 50%, enquanto que as lâmpadas LED mantêm a sua luminosidade constante ao longo de toda a sua vida útil. Além de que a temperatura ambiente pode afectar a performance das lâmpadas convencionais, o que não acontece com os LED.

Longa vida útil:

As lâmpadas incandescentes têm uma vida útil de 1.000 horas, as de halogéneo entre 2.000 e 4.000 horas, as lâmpadas fluorescentes e as  de baixo consumo entre 5.000 e 8.000 horas e as lâmpadas LED uma vida útil de 50.000 horas, podendo atingir em alguns casos 100.000 horas de funcionamento, sem influência do número de vezes que se ligam e desligam ou do número de horas de funcionamento contínuo. Isto permite manter a mesma lâmpada em operação durante 10 a 30 anos.

Sem emissão de calor:
As lâmpadas LED não desperdiçam energia por irradiação de calor como as outras lâmpadas, sendo por isso conhecidas por “luz fria“, permitindo utilizá-las em locais complexos, em pequenos espaços, ou em locais onde o consumo de energia com equipamentos de ar condicionado é elevado.

Ecológicas:

Além de reduzir considerávelmente as emissões de CO2 provocadas pela iluminação, as lâmpadas LED não contêm tungsténio como as lâmpadas convencionais, nem mercúrio como as lâmpadas fluorescentes e as de baixo consumo.

A maior parte das pessoas não sabe que ao utilizar lâmpadas de baixo consumo está na realidade a poluir o meio ambiente com contaminantes perigosos como o mercúrio.

decoracao-led

Máxima intensidade imediata:

A lâmpada LED fornece a sua luz máxima instantâneamente a partir do instante em que é ligada, enquanto que as fluorescentes e as de baixo consumo necessitam de algum tempo de aquecimento até atingirem a sua iluminação máxima (consumindo nesse tempo mais potência do que a nominal). Isto pode ser uma grande desvantagem na iluminação de espaços de passagem, ou em locais onde a luz é utilizada durante pouco tempo, já que nunca chegamos a iluminar esse espaço com 100% da quantidade de luz de que dispomos, e estaremos a gastar mais energia e a obter menos luz. Normalmente, as lâmpadas de baixo consumo, após 10 segundos de serem ligadas apenas iluminam a cerca de 60% da sua capacidade.

Sem radiações UV nem cintilações:

Muitas vezes, o problema das lâmpadas fluorescentes e as de baixo consumo em locais de actividade humana é o constante cintilar da luz, que pode chegar a ser incómodo e inclusivamente a provocar dores de cabeça, fazendo-nos optar por lâmpadas de halogéneo ou incandescentes. Com as lâmpadas LED, este problema não existe.

Os LEDs emitem uma luz constante, sem radiações Ultravioleta nem infravermelhos prejudiciais.

Além disso, a luz é muito mais brilhante, e permite que as tonalidades dos objectos iluminados sejam reproduzidas com mais fiabilidade e de forma mais viva.

Resistentes a golpes, vibrações e sobretensões:

Os chips LED são muito mais resistentes a uma queda no solo, ao contrário das incandescentes e mesmo das de halogéneo. Também resistem muito melhor às sobrecargas de tensão que se verificam na rede, sem se queimarem.

Publicado em

Estamos contagiados pela natureza!

Na Smartled acreditamos na utilização da tecnologia para contribuir na preservação do meio ambiente.

Basta de lâmpadas velhas a poluir e gastar! Queremos trocar todas as que tem em casa por Soluções LED de baixo consumo e muito mais ecológicas.

Por cada lâmpada velha que nos traga, damos-lhe 10% de desconto na compra de uma nova mais económica e amiga do ambiente!

Aproveite já mais uma ideia luminosa e traga-nos as suas lâmpadas velhas!

(Promoção válida até Julho 2013)